© Por Ricardo Alves - Nutricionista Esportivo

  • YouTube - White Circle
  • White Facebook Icon
  • White Instagram Icon

Rua Padre Chico, 221 Cj.218 - Perdizes - CEP: 05008-010 São Paulo - SP

Cel: 11-98317-9010

Especialista em dietas Paleo/Low Carb Healthy Fat (LCHF)

 1. O que é dieta Low Carb ou LCHF (Low Carb, Healthy Fat)?

É uma estratégia alimentar baseada em comida de verdade (sem rótulos e sem embalagens), na qual propomos uma inversão da pirâmide alimentar, diminuindo o consumo percentual de carboidratos e aumentando o de gorduras saudáveis (low carb, healthy fat). Ajudando muito no processo de emagrecimento sem passar fome.

Ela é especialmente utilizada para o tratamento de pessoas com obesidade, síndrome metabólica e diabetes, devido à necessidade desses pacientes em reduzir a resistência aumentada à insulina.
Essa resistência é provocada e/ou alimentada, principalmente, pelo consumo excessivo de carboidratos, especialmente os mais industrializados (refinados) com alta carga glicêmica e baixa densidade nutricional (na maioria das vezes).
“A dieta de baixo carboidrato funciona alterando nosso metabolismo, que passa a utilizar a gordura como fonte primária de energia, ao invés do carboidrato.”
Com a redução dos carboidratos da dieta, tendemos a diminuir os níveis sanguíneos de insulina, o principal hormônio envolvido no processo de ganho de peso, cujas principais funções, entre outras, são:

 

  • Retirar o açúcar do sangue e transformá-lo em gordura no tecido adiposo e no fígado, principalmente;

  • Impedir a saída da gordura da célula adiposa para que seja utilizada como energia pelo nosso corpo.


“Quanto maior a restrição ao carboidrato, maior tenderá a ser a perda de peso.”
Não existe uma regra. Isso é muito individual. Mas, usualmente, valores abaixo de 120g/dia de carboidratos já podem ser considerados low carb e o que chamamos de “very low carb” seriam para valores abaixo de 40g/dia.
Isso não significa que pessoas magras ou saudáveis não possam ou não devam adotar esse estilo de vida, muito pelo contrário. Mas, nesse caso, pode-se optar pelo que chamamos de uma dieta “com uma pegada paleo”. Priorizando o consumo de comida de verdade, evitando os produtos refinados/industrializados, mas sendo mais tranquilo e possível o consumo de frutas (mesmo as mais doces), raízes e, em determinados casos, alguns grãos.

 Em linhas gerais, as regras básicas seriam:

 

  • Eliminar o açúcar;

  • Cortar os grãos (especialmente o TRIGO);

  • Evitar raízes (para os que precisam perder mais peso);

  • Comer COMIDA DE VERDADE, sem embalagens ou rótulos (processadas ou refinadas);

  • Perder o medo da gordura natural dos alimentos.


2. A dieta Low Carb é indicada para praticantes de atividades físicas? E para Diabéticos?

Sim. Praticantes de atividades físicas podem se beneficiar muito treinando em low carb, porque não precisam encher o “tanquinho” de glicogênio comendo banana com aveia e mel, barrinhas de cereais ou pão com frios antes do treino.
Eles possuem um reservatório com milhares de calorias na forma de gordura para serem queimadas e esse será o reservatório de onde tirarão a energia para treinar e para viver. Essas pessoas passam a comer duas, três ou menos vezes ao dia. É bem mais fácil de administrar que comer de 3 em 3 horas.

No caso de diabéticos, a indicação fica ainda mais precisa:
“Não há, uma pessoa que se beneficiará mais deste estilo de vida do que o diabético (tipo I ou tipo II, mas vamos focar aqui neste último).”
A doença em questão é causada por excesso de insulina circulante e por uma resistência aumentada do corpo a este hormônio. A insulina só consegue desempenhar sua função fazendo o pâncreas produzir ainda mais insulina para vencer a resistência existente, acabando por provocar ainda mais resistência e fechando o ciclo vicioso.
Para quebrar esse ciclo, não vejo estratégia não medicamentosa mais potente e inteligente do que reduzir drasticamente da dieta o principal macronutriente responsável pelo aumento da secreção de insulina – os carboidratos.